Capitão Styvenson cresce e tem a preferência do povo galinhense para o Senado

Capitão Styvenson e Zenaide Maia é a opção que mais ouvimos falar em Galinhos. Styvenson a cada dia tem mais admiradores e deve ser o candidato mais votado em Galinhos.

Nascido em Rio Branco, no Acre, o capitão se mudou para Natal aos 14 anos. Ganhou fama no estado quando assumiu o comando da Lei Seca, fazendo grandes operações para flagrar motoristas bêbados. Entre as pessoas que acabaram se enrolando em suas ações está o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (MDB). Em 2016 ele se recusou a fazer um teste de bafômetro ao ser parado por policiais numa madrugada. Teve a carteira recolhida. Dois anos antes, integrantes do Gabinete de Segurança da então presidente Dilma Rousseff, que visitara a capital para inaugurar a Arena das Dunas, e policiais que trabalharam no evento, também foram abordados por uma operação do capitão. Um deles acabou detido.
‘Bora beber que o homem viajou. Vai com Deus, ten. Styvenson’. Acompanhada de uma foto com o chefe da Lei Seca no Rio Grande do Norte pagando por um lanche no Aeroporto de Natal, a mensagem enviada pelo WhatsApp viralizou em 2014 entre os moradores da capital do estado. Irritado, o carrasco dos motoristas bêbados voltou a Natal três dias depois, na madrugada de um sábado. Armou uma megablitz, recolheu 57 carteiras e prendeu 26 motoristas. Apesar da antipatia pela atuação rigorosa, Styvenson Valentim caiu no gosto popular ao fazer posts nas redes e dar entrevistas com a pregação de irredutibilidade também com autoridades e colegas policiais. Dois anos depois de deixar o cargo, o “outsider” é a grande novidade eleitoral potiguar de 2018 e lidera as pesquisas no estado para o Senado.

Em Galinhos, sentimos nas ruas a vontade de mudança da população, cansados de promessas não cumpridas e a descrença em políticos, faz com que a população busque algo novo. O Capitão Styvenson não tem apoio de NENHUM político, nem prefeitos, nem vereadores, esse talvez seja o motivo de está liderando todas as pesquisas para o Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.