RN pode beneficiar até 2,2 mil toneladas de pescado, afirma Sebrae

De espécies de baixo valor comercial, é possível fabricar produtos derivados, como linguiças, hambúrgueres e até presunto, além de caviar

Peixes com baixo valor comercial, como sardinhas, caico e principalmente o peixe-voador, podem virar uma fonte de renda mais lucrativa para pescadores quando processados e transformados em produtos derivados, como filé, linguiça, hambúrguer e até presunto. Um projeto do Sebrae no Rio Grande do Norte e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte pretende tornar isso uma realidade, principalmente em Caiçara do Norte, que fica a 149 quilômetros de Natal no sentindo litoral Norte, e demais municípios da região com tradição em pesca artesanal. A ideia é processar as espécies e fabricar produtos com alto valor agregado.

Denominada Projeto Voador, a iniciativa vai estimular a produção e melhorar a manipulação, armazenamento e comercialização dessas espécies, que normalmente são pouco apreciadas e, às vezes, até descartadas pelos pescadores. De acordo com estimativas da Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), o Rio Grande do Norte tem potencial para beneficiar as 2,2 mil toneladas que são pescadas a cada ano e aproveitar a ova do peixe-voador como matéria-prima para fabricação de um tipo de caviar.

O projeto foi lançado em Caiçara do Norte e atraiu representantes de colônias de pescadores do lugar. Dos 6 mil habitantes do municípios, 20% estão diretamente ligados à atividade pesqueira. “Há uma possibilidade enorme de geração de emprego e renda com o processamento do peixe-voador. Queremos com esse projeto abrir os canais de comercialização e dar novos rumos a essa cadeia produtiva, que se encontra desorganizada. Isso impede que os pequenos tenham mais lucratividade”, explica o diretor-técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, que participou do lançamento do projeto.

O encontro reuniu mais de 70 pescadores interessados no projeto, que pode se tornar a segunda experiência bem sucedida nessa área com o apoio do Sebrae. Em Apodi, aquicultores beneficiam a tilápia e comercializam em loja própria. Os produtos agora integram a merenda escolar da cidade e municípios vizinhos.

Caiçara do Norte é famosa quando o assunto é pesca. Não apenas devido às espécies nobres, como o atum, o dourado e o agulhão vela, mas também pela presença do peixe-voador que é capturado em alto mar ao longo de todo ano. A região é uma das poucas do País a explorar a pesca dessa espécie, que é tradicionalmente vendida desidratada e salgada. Somente no ano passado foram pescadas 800 toneladas do peixe-voador na região. Apesar do número expressivo, os valores comerciais não acompanham a alta. Cada peixe está sendo vendido na cidade ao preço de R$ 0,12.

Essas iniciativas deveriam ser tomadas também em Galinhos, através da Secretária de Pesca. Aliás, tem Secretaria de Pesca em Galinhos? Onde funciona? Quem é o Secretário? Ninguém sabe! Ninguém viu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.